Home

Polêmica e talento: 51 anos de Maradona

Que Pelé é melhor (e muito) do que Maradona, nós já estamos cansados de saber –que nenhum argentino nos leia. Agora, não podemos negar a grandeza desse jogador. Talentoso como poucos, Maradona chegou ao status de entidade divina, literalmente! Existe uma Igreja na Argentina fundada em seu nome, a Igreja Maradoniana, paródia feita por fãs para cultuar o ídolo. Já pensou? Ontem, ele completou 51 anos de vida e de muita polêmica.

Começou no futebol com nove anos – enquanto Pelé já era campeão mundial – e, aos 15, já figurava como titular do Argentino Juniors, time da primeira divisão. Aos 17 anos, Maradona foi convocado para a seleção nacional. A partir daí, surgiu o apelido “el pibe de oro” (o garoto de ouro, em português). Em 1980, com 20 anos, foi vendido ao Boca Juniors, seu time do coração, e em 1982, com 22, se mudou para a Europa, contratado pelo Barcelona.

Maradona disputou a Copa do Mundo de 1982, mas foi derrotado pelo seu arquiinimigo, o Brasil. Já na Copa de 1986, ele foi o destaque do campeonato. Fez gol até com a mão. “La mano de Dios” (a mão de Deus, em português) foi a resposta de Maradona quando questionado sobre essa façanha irregular. O juiz não viu, e o ponto foi computado no placar.

Na mesma partida, ele fez o gol do século, driblando nada menos do que 10 ingleses. Levou o time da Argentina nas costas e trouxe a taça de campeão na bagagem. No torneio de 1990, chegaram às finais, mas se contentaram com a vice. Nessa época, Maradona já era considerado um Deus (vivo) em seu país.

Em 1991, foi o começo do fim. Veio à tona seu abuso de drogas e envolvimento com prostituição, enquanto jogava no Napoli, da Itália. O resultado comprometedor do exame anti-doping fez com que a FIFA o proibisse de jogar por um ano. Depois da suspensão, Maradona voltou a entrar em campo pelo Boca Juniors, atuando até 1997 e encerrando a carreira aos 37 anos.

Voltou à seleção argentina em 2008, dessa vez como técnico da arquirrival. As polêmicas não pararam. Maradona chegou a prometer tirar a roupa em Buenos Aires caso fosse campeã da Copa do Mundo de 2010, mas, para o bem de nossos olhos, os argentinos caíram nas quarta-de-final.

No total, ele fez 365 gols, disputou quatro Copas do Mundo como jogador, mas só levou um título para casa. Maradona contabiliza também três importantes vitórias em campeonatos com o Napoli. Para a Argentina, sem dúvida, foi o maior jogador de todos os tempos. Para nós, fica, talvez, no segundo lugar. Parabéns pelos 51 anos, Maradona!

2 comentários para Polêmica e talento: 51 anos de Maradona
  1. Foi na vitória do Brasil sobre a Argentina, por 2

  2. E quando chegou a hora da despedida Ai

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>